Luciana Piva, diretora de RH da Cesbe.

notícias

Fique por dentro das nossas últimas notícias

RH reforça o seu papel no “novo normal” das organizações

Mudança no segmento de atuação, mas com a essência de fazer o melhor pelas pessoas, foi com esse pensamento que Luciana Piva, diretora de Recursos Humanos da Cesbe, embarcou com total dedicação no desafiador mundo da engenharia. Depois de gerenciar durante anos o RH do Grupo Boticário, Luciana ingressou na Cesbe há um ano, e já se mostrou cheia de ideias para fortalecer a cultura organizacional da empresa. “Aprender coisas que nem imaginava, estar envolvida diretamente com obras de grande impacto na infraestrutura dos países em que atuamos e que, acima de tudo,contribuem para melhorar as condições de vida das pessoas é muito gratificante”, comenta Piva.

A responsabilidade de cuidar de pessoas em uma empresa com tantas décadas de história e reconhecimento é apenas um dos desafios que Luciana encontrou ao assumir o setor de RH. O que a deixou encantada foi encontrar na Cesbe valores sólidos e gente apaixonada pelo que faz, considerados por Luciana a receita do sucesso: “Saber que os colaboradores amam o que fazem é motivador. Além disso estamos atentos a todos os elementos do ponto de vista humano e organizacional que auxiliam a empresa hoje e perpetuam esses valores para o futuro.”

Luciana destaca que o foco do seu trabalho à frente do RH reside nas pessoas, no cuidado integral com o ser humano e também na presença permanente em todas as áreas da empresa, de forma a manter o olhar estratégico para as questões humanas e organizacionais permitindo desenvolver ações ágeis que se refletem no resultado do negócio.

Das implementações em andamento merecem destaque a integração de toda a equipe no Brasil e no Peru, a abertura de canais de comunicação com os colaboradores, o alinhamento dos planos de RH, a estruturação do modelo de gestão de pessoas e a capacitação dos times. Além destas iniciativas, a saúde e a segurança das pessoas ganharam ainda maior destaque, uma vez que foram revisados diversos protocolos. As práticas de prevenção passaram a ter ainda mais força dentro da Cesbe.

Segundo Luciana, a atual crise veio para demonstrar o quão necessário é esse movimento

de transformação organizacional que visa a preparar a Cesbe para as fortes demandas exigidas pela economia 4.0. “Transformação digital é algo imperativo nos dias de hoje, tanto para a Cesbe quanto para qualquer empresa que queira sobreviver nesse novo cenário. Tudo aquilo que já se projetava para a nova economia foi acelerado com a pandemia. Hoje conseguimos ver com maior clareza essa necessidade de mudança, de desenvolver ambientes corporativos mais colaborativos e diversos,e processos que promovam maior agilidade nas decisões. Acredito que aprendemos muito nesses últimos meses e aprenderemos ainda mais daqui para frente”, ressalta Luciana.

A prova de fogo com o home office
E em meio ao planejamento traçado, um grande imprevisto alterou completamente o cenário: a pandemia da Covid-19. Porém, nesse quesito a Cesbe agiu rápido de forma a preservar a saúde dos colaboradores e para organizar o trabalho remoto dos setores administrativos. Foram criados comitês diários de crise, reuniões semanais entre as lideranças, atualizados todos protocolos de saúde e segurança, tudo através de ferramentas para a comunicação online.

“Este cenário inesperado no qual nos encontramos reforçou como a união e a colaboração de todas as pessoas é essencial para o bom funcionamento da empresa. Os colaboradores têm se mostrado bastante compreensivos e nos impressionaram com dedicação e solidariedade mesmo à distância, gerando um aumento na produtividade e engajamento das equipes”, comenta Luciana.

Os novos desafios
Para Luciana os próximos passos ainda são incertos, mas a Cesbe tem em seu planejamento estratégico uma diretriz muito clara: atrair, reter, capacitar e engajar pessoas, através de iniciativas de recursos humanos como a formação de líderes empreendedores. O desdobramento das inciativas segue alinhado aos princípios da empresa, priorizando o fortalecimento da cultura Cesbe e o foco em ser um excelente lugar para se trabalhar.

“Esta crise acelerou transformações e a estratégia precisou ser revista de forma ágil, desde os protocolos de contingência até a integração das pessoas, pois impactam diretamente nos novos negócios e nos projetos que estão em andamento”, finaliza Luciana.

Share Button